Delírios, Reflexões e Ilusões Verborrágicas


A life you don’t live is still lost
setembro 22, 2007, 10:25 pm
Filed under: Reflexões | Tags: , , , ,

“Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe”. (Oscar Wilde)

Viver não é para os fracos. Fazê-lo plenamente requer muita coragem, ousadia, força de vontade. Não é para qualquer um. Os covardes que se contentem em sobreviver, matar tempo até o inevitável e morrer sem ter triunfado, desfrutado e sentido grandes emoções.

Quem vive passa por ridículo, fica nervoso, dá o primeiro passo, é generoso, se entrega, se revela, defende crenças, tenta, falha, tenta mais uma vez, se dispõe a aprender, sabe que tem muito a conhecer, se interessa pelo mundo, vai à festas, dá a cara à tapa, acredita que pode, tropeça, dança, sorri, se esforça, chora, grita, erra, briga e quando chega a hora vai sabendo que aproveitou seu potencial e deu o máximo que pôde sempre que pôde.

Os covardes nunca são os primeiros a tentar, a falar, a tomar iniciativa. Preferem caminhos já percorridos, frases já feitas, situações já vivenciadas, lugares seguros, empregos seguros. Covardes fogem do ridículo, da exposição, da criatividade, dos erros. Vão com a multidão, tentando se sentir parte de algo. Fingem ser quem não são para agradar. Não sabem o que é o frio na barriga antes de pular de pára-quedas, de dar um discurso para centenas de pessoas ou de fazer uma apresentação, porque nunca fizeram isso na vida.

Quem saboreia a vida é conivente com quem a vive de maneira covarde. Estes não sabem o que estão perdendo.



And here we go again
setembro 20, 2007, 11:01 pm
Filed under: Surtos

Para algumas pessoas escrever não é uma decisão. É uma necessidade, tão básica quanto comer, rir e se relacionar. Algum conjunto mínimo de circunstâncias favoráveis liberam este instinto tão singular e num piscar de olhos para alguns, anos para outros, cria-se um escritor amador.

Esta já é a segunda tentativa de ter um blog para guardar o que já escrevi, o que escrevo e o que irei escrever, sem limitar-me a temas ou classificações. Não prometo postagens regulares ou mesmo postagens que tenham algum sentido. O que fluir, será. Veremos como as coisas ficam.