Delírios, Reflexões e Ilusões Verborrágicas


Drabbles
novembro 2, 2007, 8:44 pm
Filed under: Surtos

Pare de roer as unhas. Pare. Tu estás ansioso, sob tensão e isso não é nem um pouco saudável. Alguém relaxado, calmo, não rói as unhas.

Pare de correr na vida. Tire três segundos do teu dia para respirar, faça exercício físico, leia um livro; qualquer coisa, mas pare de colocar esse dedo na boca. Tua vida passará e talvez tu nem notes, mergulhado nessa adrenalina. Pessoas sairão da tua vida e quando tu perceberes, já será tarde demais. Stress vicia, sabe. Tu acabas por adaptar-se; teu organismo demorará a reclamar.

Pare de roer as unhas, antes que seja tarde.

—————-

Eu me pergunto se sabes o quanto eu sinto tua falta. Não tenho sequer coragem de imaginar se tu também sentes saudades de mim; seria quase prepotência de minha parte, acredito.

Fico aqui apenas, esperando ansiosamente por uma oportunidade de desfrutar de alguns meros segundos da tua companhia. Eu sei, você sabe, qualquer um nota que sentir teus olhos nos meus já me faz ganhar o dia. Que te ver sorrir, ouvir teu riso, é mais do que eu tenho a coragem de pedir.

Gostaria de poder ter tua presença no mesmo recinto que eu por 10 minutos diários somente.

—————-

Vai, parte meu coração. Sem dó, sem piedade. Sabes que eu gosto demais de ti, então faça. Rejeite minha amizade, despreze meu afeto. E, por favor, o faça sem dizer uma palavra sequer. Deixe-me no vazio, indagando o que eu fiz para que isto acontecesse, o que eu deveria ter feito para ser melhor para ti, se o erro foi meu.

Agarre esse órgão que pulsa meu sangue e o despedace, tomando bastante cuidado para que eu nunca consiga curá-lo completamente. Vai, destrua-me. Sabes que já te dei meu coração há muito tempo, então faça o que quiser com ele.